Esta opção reiniciará o site do Sistema Conferp, restaurando todas as janelas fechadas no site.

Reiniciar o site do Sistema Conferp

Conferp lança a Consulta aos Profissionais de Relações Públicas

 

.
Prezados Profissionais,

 

É com muito orgulho que apresentamos um novo programa para conhecimento e participação de toda a categoria.O processo de reavaliação e readequação do Sistema Conferp está sendo conduzido de forma contínua e gradativa. Além dos trâmites administrativos normais, que são intensos, mas não aparecem no dia a dia, temos também fases de planejamento e de execução das atividades definidas pelo planejamento estratégico apresentado à categoria em julho passado.

Os Conrerps iniciaram, com a coordenação de nossa executiva Themis, a implantação de suas atividades e o início de criação dos grupos locais. Já estamos trabalhando com profissionais junto aos Conrerps do DF, do Rio e de SP e estamos iniciando ações nas demais regiões.

Também iniciamos as aproximações com universidades, coordenadores e professores de curso de relações públicas. Estamos formando corpo para concretizar as ações e dar maior visibilidade para as atividades e para a nossa profissão.

Da mesma forma, o Conferp está totalmente envolvido na coordenação e apoio ao Conrerp2ª para organização e disseminação do Prêmio Opinião Pública. Nesse momento, todos os Conrerps estão trabalhando unidos para a disseminação do POP, cada um fazendo ações de divulgação em suas regiões em conjunto com as diretrizes adotadas pelo Conrerp2ª.

Isso porque sabemos que o POP hoje é uma premiação de destaque e reconhecida qualidade na área de comunicação e em todo o Brasil. Ele carrega o prestígio de ser a premiação mais importante da área de Relações Púbicas pelo alto nível de qualidade.dos projetos e dos profissionais responsáveis por eles. Ele tem como objetivo maior alcançar organizações e sensibilizá-las pela apresentação de trabalhos de qualidade elaborados por Profissionais de Relações Públicas.

Além disso, já estamos trabalhando fortemente na área de relações governamentais e defendendo os interesses da profissão e da categoria, não só diretamente com parlamentares, mas também com os representantes de segmentos considerados como especialidades de relações públicas como cerimonial, eventos, relações governamentais.

Estamos dando passos seguros na medida em que nos posicionamos em cada um desses setores.

Mas o que gostaríamos de destacar, nesse nosso contato, é o lançamento do Programa de Flexibilização que apresentamos agora para toda a categoria.

O plano de abertura com suas propostas, apresentado em outro espaço criado especialmente para discutir o assunto, vem, em nossa opinião e na maioria das opiniões manifestadas por profissionais de todo o Brasil, atender a uma necessidade incontestável que nos toca há muito tempo.

A busca da solução para o que está acontecendo no mercado da comunicação com a presença de tantos (e muitos excelentes) profissionais de outras áreas executando a atividade de relações públicas e afligindo a nossa categoria de maneira significativa.

O Sistema Conferp cumpre seu papel quando faz os estudos e as avaliações do contexto da profissão e apresenta suas propostas para a resolução dessas necessidades. Cumpre ainda mais, quando propõe a livre discussão dessas propostas e prevê que suas soluções sejam encaminhadas pela vontade e desejo da categoria.

Isso se dará, certamente, pelo conteúdo e programa apresentado no hot site que tem como finalidade abrir um amplo debate para dissecar esses temas que nos aflige tanto nesse momento.

Para finalizar, gostaria de deixar aqui minha mensagem pessoal sobre tudo o que está acontecendo nesse momento.

Desde que iniciei minha carreira profissional na área de Relações Públicas, tenho ouvido e discutido a questão da evolução do mercado, da entrada de profissionais de outras áreas, do atraso da categoria e da ineficácia do Sistema Conferp. Em 1995, cheguei a escrever sobre o assunto com o tema “O conceito é próprio, mas não é de propriedade de Relações Públicas”.

Desde aquele tempo já discutíamos a necessidade de criar e elevar um posicionamento para a profissão de relações públicas e suas atividades. Muitas propostas de ações e de mudanças foram apresentadas ao longo desse tempo, mas nenhuma, por razões próprias, promoveu com eficácia as mudanças que pretendiam. Mas a grande marca dessa categoria é a de não desistir de seus propósitos mais nobres, por isso, sempre surgiram novas propostas.

Nesse momento o Sistema Conferp apresenta uma proposta real e concreta, consistente e estruturada para que possa se tornar aquela que produzirá os efeitos sempre desejados pela categoria.

Entendo, caros amigos profissionais, que está mais do que na hora de discutirmos essa questão aberta e oficialmente. Não há mais tempo para postergarmos essa decisão. Por isso, entendo também que chegou a hora de toda categoria se envolver e engajar de verdade nesse movimento, pois trata-se de um momento de real significado para todos nós.

Tenho certeza de que todos nós, Profissionais de Relações Públicas, nos mobilizaremos nesse movimento e teremos finalmente alcançado o ideal de fazer acontecer o que desejamos e realizar a vontade de nossa categoria.

Contamos com sua participação e com sua importante contribuição.

Um abraço a todos.

Flávio Schmidt
Presidente do Conferp


33 comentários

  1. Adriania Teixeira Guimarães comentou:

    Parabéns a todos pela iniciativa. A categoria de Relações Pública precisa de maior visibilidade e ser respeitada como profissão. O que mais vejo em editais de concursos são atribuições de nossa atividade como sendo de outras categorias profissionais. Já basta ! Contem comigo!

    Abraço!

  2. Kátia Filippi Pecoraro comentou:

    Parabéns, Flávio… finalmente!
    conte sempre comigo.
    sucesso!

    KFP.

  3. Conferp comentou:

    Katia,

    Agradeço pelas palavras de carinho e apoio.
    Também conto com vc, como sempre.

    Obrigado e um abraço.

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  4. ROSE MARY comentou:

    PARABENS PELO MOVIMENTO DA CLASSE .PRECISAMOS REALIZAR OS OBJETIVOS DA NOSSA CATEGORIA..

  5. Mônica Alvarez comentou:

    Parabéns Flávio pelo trabalho.
    Tenho certeza que estamos no caminho certo.
    Abs,
    Mônica Alvarez

  6. Conferp comentou:

    Prezada Monica,

    Agradeço pelo apoio e carinho.
    Vamos seguir em frente sempre juntos.

    Obrigado e um abraço

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  7. Sanra Márcia de Melo comentou:

    É certo que devemos repensar e avaliar a posição do Relações Públicas nesse novo mercado global e interdisciplinar. Importantes são essas ações que o CONFERP e os CONRERPs iniciam. Parabéns.

  8. Conferp comentou:

    Sanra,

    Agradeço pelo apoio e atenção que nos ajudará a encontrar nossos caminhos.

    Um abraço

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  9. FLÁVIO:

    VCE. CONHECE MINHA POSIÇÃO SOBRE O TEMA. ESCREVI UM ARTIGO PARA O SITE DO CONRERP2A.REGIÃO QUE TRATA DISSO.
    ESTA ABERTURA E FLEXIBILIZAÇÃO VAI DAR MAIOR MUSCULATURA A NOSSA PROFISSÃO DE rpS JÁ TÃO FRAGILIZADA.
    PARABÉNS PELA CORAGEM E BOM SENSO
    ABS
    LALA
    OBS: VOU ESCREVER UM ARTIGO PARA MINHA COLUNA NA ABERJE.COM .

  10. Conferp comentou:

    Lala,

    Li sim seu artigo. Muito bom.
    Agradeço seu apoio e carinho que sempre teve conosco.

    Obrigado e um abraço.

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  11. Pedro Ernesto Mariano de Azevedo comentou:

    Prezado Flávio,

    Parabéns!
    Vá em frente.

    Um forte abraço,
    Pedro Ernesto Mariano de Azevedo – CONRERP/RJ – 098

  12. Conferp comentou:

    Prezado Pedro Ernesto,

    Obrigado pelo apoio.

    Um abraço do amigo

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  13. marcia ceschini comentou:

    Flávio,

    sempre parabéns por estar em sintonia com os desejos de estudantes, profissionais e mercado. Inteligentemente vocês começam a nos trazer para parceiros. É esse o caminho mesmo.
    Aproveitem esse momento de força nas redes.
    Conte comigo.
    Abraços

  14. Conferp comentou:

    Marcia,

    Muito bom receber mensagem sua, especialmente trazendo o que vc escreve.

    Agradeço pelo carinho e apoio de sempre.

    Obrigado e um abraço

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  15. Rose Cristine comentou:

    Eu fico na torcida que tudo aconteça de verdade. Ultimamente as frases que tenho escutado dos colegas da profissão são as seguintes: ” Quero sair dessa área de RP”, ” É melhor fechar esse curso”, ” Nem me lembro mais que fiz essa faculdade”….

    A profissão e os profissionais de Relações Públicas merecem VALORIZAÇÃO JÁ!

    Boa sorte!

    Rose Cristine-Relações Públicas-5ªRegião/AL

  16. Katia Fernandes comentou:

    Flávio,,
    Bom dia! Fico indignada com profissionais de outra categoria agir como Relações Públicas, é uma grande falta de respeito e ética profissional.Vejo a dificuldade de algumas instituições de ensino manter esse curso. Portanto é realmente urgente essa iniciativa. parabéns, amo ser Relações Públicas e o que puder fazer para fortalecer sempre nosso espaço, o farei.Conte comigo.
    Katia Fernandes

  17. Rita Becco comentou:

    Prezados colegas,
    Cumprimento pela  iniciativa de representar institucionalmente a categoria na Pauta da Flexibilização do exercício profissional. Aproveito para lembrar sobre as recentes mudanças na legislação das licitações no setor público, que resultaram no impedimento de subcontratação dos serviços de produção de eventos, por agências publicitárias. Isso está obrigando o setor público a repensar sua forma de planejar,  contratar e supervisionar esse tipo de serviço. Certamente um cenário que abre possibilidades para empresa e profissionais da nossa área, se tivermos preparados para tanto. Atenciosamente,
    Rita Becco

  18. Osirmar cleuton B de Souza comentou:

    É de atitudes como essa que tenho orgulho de ter escolhido essa profissão,parabéns por essa iniciativa,conte comigo.

  19. Rosana Dias comentou:

    Parabéns por esta significativa iniciativa e proposta! Vejo que é necessária a união da classe pelo fortalecimento da profissão de Relações Públicas. Devemos nos engajar juntamente com o Conselho, para o ampliar desta ação.

  20. Teresa D T Pitombo comentou:

    Flavio e colegas do Conferp

    Parabéns pela iniciativa está dando um novo folego às Relações Públicas e com certeza cada um de nós precisamos acreditar e trabalhar nesta parceria saindo do posicionamento cômodo e acomodado. 

    Acredito piamente em mobilização, conscientização e ação, conte comigo.

    Abs

    Teresa D T Pitombo
    Conrerp 2ª região

  21. Carlos Yanguas comentou:

    Sou contra. O Conferp, juntamente aos Conrerp’s devem fortalecer a classe de relações públicas que estudaram e se aplicaram para se profissionalizarem. Pergunte aos estudantes e recém formados em jornalismo se ficaram satisfeitos com a não obrigatoriedade do diploma para a profissão de jornalistas? Essa nova medida proposta via enfraquecer os cursos de graduação para Relações Públicas, diminuirá o interesse de estudantes a ingressarem neste curso e consequentemente diminuir o investimento das universidades neste, assim como já vem acontecendo.

  22. Carlos Yanguas comentou:

    Não me agradaram. Acho que o Conrerp e o Conferp devem ser mais presentes durante o ciclo acadêmico de estudantes de Relações Públicas. No meu caso, só fui receber alguém do Conrerp, na minha colação de grau, para “convidar” a conhecer o Conrerp. Lamentável. O Conferp deve defender os profissionais e graduandos em RP, divulgar e lutar pela importância da classe. Acho lamentável essa proposta, pois desvaloriza aqueles que investiram em uma carreira. Essa medida abre precedentes para acreditarmos que o objetivo é angariar um número maior de filiados ao Conselho Federel e aos regionais de RP, consequentemente aumentando a arrecadação com a contribuição. Nunca acreditei que o conselho fosse realmente ativo para a nossa classe. Nunca conheci alguém que estivesse satisfeito de fato com a atuação do nosso conselho em pró da nossa classe.

  23. Conferp comentou:

    Prezado Carlos,

    Agradecemos o envio de sua opinião pelo email do site, assim podemos tomar conhecimento do que e como você pensa a respeito do assunto em debate. Solicitamos a gentileza, no entanto, que você se manifeste oficialmente pelo hot site da consulta – http://www.conferp.org.br/consulta – no campo adequado a sua condição. Assim, além de conhecermos sua importante opinião, ela também fará parte do processo de análise que nossos profissionais consultores estarão fazendo com todas as respostas encaminhadas por aquele meio.

    Gostaríamos de aproveitar a oportunidade para esclarecer também que essa consulta está sendo realizada com base nos estudos feitos no mercado durante os últimos anos e no resultado das duas últimas pesquisas realizadas pelo Conferp com Profissionais de Relações Públicas de todo o Brasil. Ela não representa a opinião ou posição individual de nenhum profissional e nem mesmo do Conselho isoladamente.

    Ela está sendo apresentada para que a categoria possa se manifestar mais uma vez a respeito da proposta criada pelo Sistema Conferp, que teve, como já dissemos, base no resultado das próprias manifestações dos profissionais.

    Agora a categoria tem uma nova oportunidade de definir quais serão os próximos passos que o Sistema Conferp deverá dar para conduzir nossa categoria a um novo patamar.

    O resultado dessa consulta será respeitado integralmente e o Sistema Conferp somente tomará decisões com base em seu resultado.

    Por isso, o que for realizado será baseado exclusivamente na vontade da categoria profissional.

    Esperamos que o maior número de profissionais participem para que a consulta tenha total representatividade. Nesse sentido, solicitamos a você para divulgar entre seus contatos e redes sociais para que possamos alcançar o melhor resultado.

    Agradecemos mais uma vez sua participação e apoio.

    Um abraço

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente
    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  24. Marilane do Nascimento Batista comentou:

    Entendo como uma total falta de respeito por parte dos empresários a atitude de permitir que, pessoas sem conhecimento acadêmico e um diploma, exerçam papel de Relações Públicas em suas empresas.

    Temos muitos bons profissionais aguardando, apenas, uma oportunidade para trabalhar.

    Vamos lutar pelos nossos direitos.

    Parabéns, Flávio!

  25. Daniela Oliveira comentou:

    Parabéns pela iniciativa. Temos que realmente lutar para que nossa profissão, seja cada vez mais valorizada. Acredito que a partir de ações como estas conjuntas, conseguiremos nos engajar junto aos Conselhos e fazer jus aos nossos direitos de forma que o Profissional de Relações Públicas não seja esquecido e deixado de lado. Contem comigo. Abraços.3ª Região/MG.

  26. Juliana Dias comentou:

    Prezados,

    Conforme opiniões que já expressei na Consulta e publicamente, discordo inteiramente da proposta ora apresentada, por entender que ela desvaloriza uma das coisas mais valiosas da nossa profissão: a obrigatoriedade do diploma universitário e do registro para exerce-la. Penso que nossas necessidades são inteiramente outras: muito mais fiscalização e atualização da legislação. É um erro ainda achar que os RPs devem fazer tudo na comunicação, que é, grosso modo, o que preconizam a Lei 5.377 e RN 43. Mas é um erro muito maior registrar profissionais de outras áreas como RPs, só porque eles exercem funções privativas nossas. Estamos mirando nos problemas errados. A falta de caixa dos Conrerps não será resolvida dessa forma. Espero que mais pessoas tenham a sanidade de olhar o que fizeram os outros conselhos, mais antigos e mais bem sucedidos que os nossos, que em alguém momento de suas trajetórias passaram pelo mesmo que nós.

  27. Juliana Dias comentou:

    Boa tarde. Hoje é dia 26/10 e já fazem dois dias que meu comentário está sendo analisado pelo Conferp. Dada a urgência e a importância do assunto, esse prazo não poderia ser mais curto? Agradeço pela atenção.

  28. Isabella comentou:

    Realmente custo a crer que existam profissionais que se dignam a responder favoravelmente esta proposta. Nunca li nada mais absurdo! Nossa profissão já não tem a devida valorização no mercado e com esta proposta sinto que seremos desmoralizados e desrespeitados como profissionais. Uma pessoa necessita de no mínimo 4 anos para aprender os preceitos da profissão e  É INADMISSÍVEL que uma outra pessoa qualquer seja considerada um profissional da área sem  ter essa bagagem mínima. Um médico só é considerado médico após o processo da faculdade, um advogado só se torna advogado se formar-se na universidade e ainda provar que tem a bagagem teórica necessária para exercer a profissão. Ninguém vê o conselho de medicina cotando a possibilidade de dar o registro para um curandeiro, só imaginar essa possibilidade já é absurda! Tão absurda quanto dar à qualquer pessoa o registro de uma profissão que ela não está habilitada a exercer. Estou indignada e profundamente decepcionada com esta instituição, uma vez que para mim está bem claro que tal proposta foi realizada no intuito de arrecadar dinheiro para os cofres do conselho. A pessoa que teve esta ideia e todas as outras que a apoiam são indignas da profissão e do juramento que fizeram em sua formatura. Recuso-me  apoiar esta causa e estarei militando contra, junto com os vários outros profissionais indignados com tal atitude do conselho. E espero, prezados senhores, que aceitem este comentário, uma vez que apenas os comentários favoráveis estão indo ao ar. SEJAM TRANSPARENTES!

  29. Izabela Sant Anna comentou:

    Alguém me explique o que o conselho faz além de te convidar para conhece-lo quando vc forma?Relações Públicas no Brasil tem gente que nem sabe o que é!!!Lamentável, Lamentável o que vocês estão fazendo.Agora qualquer um pode ser RP??Muito bom ótimo mesmo!!

  30. Conferp comentou:

    Prezada Izabela,

    Agradecemos o envio de sua opinião pelo email do site, assim podemos tomar conhecimento do que e como você pensa a respeito do assunto emdebate. Solicitamos a gentileza, no entanto, que você se manifeste oficialmente pelo hot site da consulta – http://www.conferp.org.br/consulta – no campo adequado a sua condição. Assim, seu depoimento fará parte do processo de análise que nossos profissionais consultores estarão fazendo com todas as respostas encaminhadas por aquele meio.

    Pelo seu comentário abaixo, sinto que vc não observou todos os conteúdos do hotsite onde lá apresentamos todo o estudo feito – tanto de forma institucional quanto legal.

    O Sistema Conferp não está se lançando numa aventura, nem atuando de forma irresponsável. Estamos tratando o assunto de forma muito séria, profissional e técnica. Estamos em busca do verdadeiro posicionamento da profissão e da categoria, para recuperar sua importância no mercado e o reconhecimento que a nossa profissão merece.

    Por favor, leia todos os conteúdos e avalie novamente nossa proposta, em especial o link de Critérios, onde vc poderá observar que serão somente profissionais qualificados que terão direito a se registrar, mesmo assim se passarem em teste de proficiência. Assim teremos resolvido um problema crucial para todos nós profissionais bacharéis em relações públicas, porque hoje, com a situação real que vivemos, é que estamos sendo prejudicados, ao enfrentar uma concorrência desleal imposta pela realidade do mercado. Vamos corrigir essa defasagem do mercado e tornar nossa profissão mais reconhecida. Acredite nisso. Mas de qualquer forma, respeitamos sua opinião, seja ela qual for, será sempre muito importante para nós. Se vc depois de ler o conteúdo do site mantiver sua opinião atual, não haverá nenhum problema, vamos respeitá-la e considerá-la em nosso estudo e análise do conjunto das opiniões. Apenas desejamos que você reflita um pouco mais sobre o assunto.

    Gostaríamos de aproveitar a oportunidade para esclarecer também que essa consulta está sendo realizada com base nos estudos feitos no mercado durante os últimos anos e no resultado das duas últimas pesquisas realizadas pelo Conferp com Profissionais de Relações Públicas de todo oBrasil. Ela não representa a opinião ou posição individual de nenhum profissional e nem mesmo do Conselho isoladamente.

    Ela está sendo apresentada para que a categoria possa se manifestar mais uma vez a respeito da proposta criada pelo Sistema Conferp, que teve, como já dissemos, base no resultado das próprias manifestações dos profissionais.

    Agora a categoria tem uma nova oportunidade de definir quais serão os próximos passos que o Sistema Conferp deverá dar para conduzir nossa categoria a um novo patamar.

    O resultado dessa consulta será respeitado integralmente e o Sistema Conferp somente tomará decisões com base em seu resultado.

    Por isso, o que for realizado será baseado exclusivamente na vontade da categoria profissional.

    Esperamos que o maior número de profissionais participem para que a consulta tenha total representatividade. Nesse sentido, solicitamos a você para divulgar entre seus contatos e redes sociais para que possamos alcançar o melhor resultado.

    Agradecemos mais uma vez sua participação e apoio.

    Um abraço

    Flávio Schmidt
    Profissional de Relações Públicas
    Conrerp 2ª Região – 1723

    CONFERP
    Presidente

    presidencia@conferp.org.br
    http://www.conferp.org.br

  31. Aline Brandão comentou:

    Sou contra também! Nos profissionais de Relações Pública sempre ficamos a espera do tão sonhado reconhecimento, e acredito que aos poucos estamos conseguindo ganhar espaço. É importante ressaltar que além das habilidades que uma pessoa possa ter quando se fala em ações de Relações Públicas, é importantíssimo a presença da teoria para que o profissional seja capaz de cumprir suas habilidades com ética e conhecimento teórico! Portanto, Relações Públicas completos, esses que o mercado de trabalho precisa, são os que passaram quatro anos de sua vida, dedicados a aprender a ser um bom Relações Públicas, a ser um Cisne Negro da Comunicação.

  32. Eliane Hayami comentou:

    Congratulações para as ações que buscam aproximações com os profissionais e instituições de ensino, empresas… ações que impulsionem os Conrerps e Conferp…

    Porém NÃO concordo com a abertura profissional para demais profissionais…penso que se estes profissionais de outras áreas possuem interesse em assinar como Relações Públicas, seria interessante convidá-los a um dos cursos de graduação de Relações Públicas.

    Certamente, com esta aprovação, poderemos decretar a falência dos cursos de graduação em todo o Brasil… além de transmitir a desvalorização de nossa profissão…

    Creio que ações de comunicação seriam cruciais para revertermos esta situação de crise… pelo menos é o que sempre estudamos…
    Há inúmeras ações para tanto, como por exemplo: campanhas de divulgação de nossa profissão; de profissionais que estejam atuando de forma grandiosa em empresas em todo o Brasil; além de premiações e divulgação massiva se tornam ações eficazes para que atraiam mais interessados para se graduarem em nossa área…

    Precisamos valorizar nossa profissão e nossos profissionais… a abertura só desvalorizará e decretará que Relações Públicas é uma profissão falida precisando de gente de fora para reverter a situação…

    Essa é a hora de arregaçarmos as mangas e iniciarmos uma força em conjunto, de profissionais da área, instituições de ensino e CONRERPs, ações para impulsionar nossa profissão!

  33. Cibele Borges Marquez comentou:

    Prezados,
    Há quase 20 anos vivíamos a mesma polêmica, que me parece ser uma particularidade da área de Relações Públicas. Democraticamente devemos rever nossos valores e nossas posições, entretanto, entendo como sendo legítima essa discussão desde que não haja nenhum interesse comercial.
    Temos uma enormidade de ótimos profissionais trabalhando por este Brasil todo, há várias décadas. Profissionais que se graduaram em Relações Públicas e continuaram se especializando, para entregar ao mercado um trabalho científico, contemporâneo, correto e honesto. Profissão que se valoriza ano a ano, haja vista o que se constata nas Agências de Publicidade, cada vez mais, buscam parcerias ou contratam Relações Públicas graduados, para fortalecerem suas soluções de comunicação.
    Diante disto, manifesto meu posicionamento de ser a favor à obrigatoriedade do diploma universitário ou especialização e do registro para exercê-la.
    Grata por poder me manifestar.
    Cibele Borges Marquez

Deixe seu comentário