Esta opção reiniciará o site do Sistema Conferp, restaurando todas as janelas fechadas no site.

Reiniciar o site do Sistema Conferp

Relações Públicas no Guia VEJA de Profissões

vejaVEJA.com recrutou 30 profissionais de destaque de diferentes áreas para ajudar os vestibulandos a resolver um dilema: qual carreira seguir. Eles responderam questões da redação e também dos internautas, com o objetivo de esclarecer como é o dia-a-dia de suas áreas, quais as habilidades requeridas por suas atividades e as perspectivas de mercado para os próximos anos, entre outros temas.

Confira as respostas da Presidente do CONFERP a Relações Públicas Angelina Gonçalves de Faria Pereira.

angelina-goncalves-de-faria-pereiraNome/idade: Angelina Gonçalves de Faria Pereira, 46 anos

Formação/ano: Instituto Cultural Newton Paiva Ferreira, em 1986

Ocupação atual: Assessora de comunicação social da Superintendência de Museus da Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais e presidente do Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas

Pós-graduação em políticas públicas e gestão governamental pela Fundação João Pinheiro (MG)

Professora da Faculdade Anhanguera

Atuou como assessora de relações públicas da Fundação Clóvis Salgado – Palácio das Artes

1. Em que medida você interage com outras pessoas durante o seu trabalho?

A interação do profissional de relações públicas com outras pessoas é muito grande, pois ele é o responsável por intermediar a comunicação da instituição com seus diversos públicos, sejam eles internos (funcionários e seus familiares) ou externos (comunidade, imprensa, governo, fornecedores, consumidores). É por meio desta interação que este profissional terá condições de detectar algum problema na organização e desenvolver estratégias e ações de comunicação direcionadas para aquele público específico. Para que o profissional de relações públicas desempenhe seu papel com eficiência, é fundamental que ele tenha bom relacionamento também com os gestores e, principalmente, com o departamento de recursos humanos, pois muitas ações que serão desenvolvidas na empresa precisarão do envolvimento destas áreas e também de todos os funcionários da instituição, afinal de contas, ninguém trabalha sozinho.

2. Você trabalha nos fins de semanas? Com que freqüência?

Sim, trabalho também nos fins de semana, mas de forma esporádica. Esta demanda só ocorre quando acontecem eventos ou atividades realizadas pela empresa nos sábados e domingos.

3. Você pode fazer o seu próprio horário de trabalho?

O profissional de relações públicas terá flexibilidade em seu horário de trabalho quando desenvolver atividade como autônomo, como acontece com os consultores e assessores de relações públicas. Caso o profissional trabalhe em uma empresa pública ou privada, certamente ele terá que obedecer ao horário de trabalho destas instituições.

4. Ao entrar no mercado de trabalho, é melhor experimentar várias empresas de início ou já se estabelecer em um único emprego?

A melhor fase para experimentar e adquirir experiência é quando ainda somos estudantes. Neste caso, esta experiência pode ser adquirida por meio dos estágios, que podem ser desenvolvidos em uma agência de comunicação, em um departamento de relações públicas de uma empresa pública ou privada, e até desenvolvendo trabalhos voluntários, pois o mais importante para você neste momento é criar a sua própria rede de relacionamentos. As oportunidades aparecem onde menos esperamos. Para entrar no mercado de trabalho não basta ter o diploma de comunicação social com habilitação em relações públicas, pois esta é uma profissão regulamentada. Neste caso, além de ter a graduação, o aluno deve solicitar o seu registro junto a um conselho regional. Quando se torna um profissional devidamente registrado e entra no mercado de trabalho, sugiro que ele se estabeleça primeiro em uma organização e tente aprimorar ao máximo o conhecimento adquirido na academia. Depois de um determinado tempo nessa organização, se ele começar a sentir que poderia desenvolver muito mais ou não está satisfeito financeira e profissionalmente, aí, sim, deve procurar outra empresa que atenda às suas necessidades e expectativas. Para se firmar num mercado tão competitivo é necessário que o relações públicas construa a sua própria imagem profissional, que só é possível com muito trabalho e atualização constante.

5. É necessário se atualizar de forma permanente na sua profissão?

Atualização é necessária em qualquer profissão. O Conselho Federal de Profissionais de Relações Públicas acaba de divulgar pesquisa que mostra que 44% dos profissionais de relações públicas registrados no país possuem alguma especialização e 17% estão com a especialização em curso. O conhecimento de uma língua estrangeira não é apenas necessário e, sim, obrigatório em nossa profissão.

6. O que mais a decepcionou no exercício da profissão?

A cada dia que passa, tenho certeza absoluta de que escolhi a profissão certa. Mas não é só na minha profissão, acredito que todos os profissionais sentem que suas profissões deveriam ser mais valorizadas pela sociedade.

7. E o que mais o agradou/surpreendeu de forma positiva?

A possibilidade exercer várias atividades, a questão estratégica, os relacionamentos que se criam no exercício da profissão e o status do cargo, sempre muito perto e participativo junto ao centro de tomada de decisões da instituição.

8. É possível trabalhar como autônomo ou empresário na sua profissão, ou a tendência é continuar sempre como empregado?

No Brasil e na America Latina a profissão de relações públicas tem como principal característica a “departamentalização”, ou seja, a atuação em departamentos e setores de comunicação e relações públicas de uma empresa pública ou privada. Na Europa e nos Estados Unidos, o profissional de relações públicas é autônomo, prestando serviços de consultoria para empresas públicas ou privadas; ou é dono de agências de comunicação e relações públicas. No Brasil, a cada dia cresce este tipo de atuação profissional e hoje já é possível encontrarmos vários profissionais autônomos atuando como consultores ou assessores.

9. Em sua opinião, qual é o perfil ideal para um profissional dessa área?

O profissional de relações públicas deve ser dinâmico, pró-ativo e vanguardista. Deve ter a capacidade de ler e prever cenários. Ser ético e correto, sempre atento às questões socioculturais e econômicas de nossa sociedade.

10. Qual é o maior desafio para o exercício da sua profissão?

O maior desafio para o exercício da profissão é mensurar os resultados dos investimentos feitos pela empresa, pois o trabalho do profissional de relações públicas é intangível. É preciso que ele fique atento e demonstre sempre que necessário, seja por meio de relatório ou de dados estatísticos, o retorno deste investimento.

11. Qual habilidade é a mais útil e necessária para o exercício da profissão?

É preciso que o profissional tenha, acima de tudo, um bom relacionamento interpessoal e capacidade gerencial, pois ele é responsável pela interlocução com todos os públicos da organização.

12. Quanto tempo leva até você conseguir alcançar certa “estabilidade” na sua carreira?

Como em qualquer profissão, a estabilidade vem com o tempo e está associada ao desempenho de seu trabalho enquanto profissional e de sua postura ética. Para mim, a “estabilidade” está intimamente ligada à construção do nome da pessoa no exercício de sua profissão.

13. Quais são os exemplos de empresa que um relações públicas pode trabalhar? Paula Schutt, 15 anos

Qualquer empresa que perceba que deve trabalhar o relacionamento com seu público, ou seja: todas. Empresas privadas de pequeno, médio e grande porte, passando por instituições públicas, ONGs etc. O mercado para o profissional de relações públicas tem crescido muito nas micro e pequenas empresas. Vale ressaltar que no Brasil 98% das empresas são micro ou pequenas.

14. Disseram-me que o curso de relações públicas está muito desvalorizado no mercado de trabalho e que só grandes empresas têm vagas. Isso é verdade? Gabriela Kauer, 17 anos

Não é verdade. O mercado esta em amplo crescimento para a atuação profissional de relações públicas. As empresas estão percebendo que a manutenção de sua imagem no mercado está vinculada ao relacionamento que elas estabelecem com seus públicos (funcionários, fornecedores, comunidade, imprensa, mundo oficial, dentre outros). E esse relacionamento deve ser feito de forma profissional. Uma oportunidade para o profissional. O mercado está aberto para todos aqueles profissionais que estejam dispostos a trabalhar e mostrar a sua competência.

15. Quais são as áreas em que se pode trabalhar? Marisol Madueno, 18 anos

O profissional de relações públicas pode atuar em empresas de grande porte, instituições públicas, micro e pequenas empresas, ONGs, desenvolvendo ações de comunicação interna e externa, no terceiro setor em ações de relacionamento com comunidades e responsabilidade social. Cerimonial e organização de eventos, assessoria de imprensa, relacionamentos on-line e em muitas outras áreas.

16. Como é o dia-a-dia de um profissional de relações públicas? Marisol Madueno, 18 anos

É duro, mas é muito é recompensador. O profissional de relações públicas deve iniciar seu dia informado sobre o mercado de atuação da empresa em que trabalha. A jornada pode ser muito calma ou muito agitada, dependendo do projeto ou ação em que ele esteja envolvido. Muita conversa de trabalho com sua equipe, profissionais da empresa, muitas idéias e poucos recursos, alguns sustos e muitas surpresas, mas no final do dia é sensação do trabalho cumprido é muito gratificante.


Veja mais em Veja.com

10 comentários

  1. Fernanda foroni Luchesi comentou:

    Realmente este é um grande passo para divulgarmos a profissão brilhante e empolgante que é RP! Sinto que cada vez mais empresários, empresas e estudantes estão dando mais valor as RP’s.

  2. Sugiro que o Conferp trabalhe para que o mesmo não aconteça com RP, já que vi hoje no site G1 que Gilmar Mendes planeja desregulamentar outras profissões…Desse jeito, vai sobrar cozinheiros….

  3. Iamara Cristina comentou:

    Sou estudante de RP ,estou no primeiro semestre é estou muito feliz ,pois acredito muito no meu futuro com RP…….

  4. Andreia Lisboa comentou:

    Me senti encorajada após ter lido essa entrevista! Esse é o caminho RPs.

  5. […] Confira a entrevista com a Presidente do CONFERP a Relações Públicas Angelina Gonçalves de Faria Pereira, no site do CONFERP _  http://www.conferp.org.br/?p=1020 […]

  6. Gabriela comentou:

    Me senti muito satisfeita após ter lido essa entrevista, confesso que estou meio receiosa, mais acredito ser a profissão que tanto almejo. Fui um tanto criticada por escolher o curso de RP, mais acredito que com muito trabalho e força de vontade eu possa ser uma grande profissional! Obrigada.

  7. Renan Dias comentou:

    Estou concluindo meu 1° ano como RP, estou com uma expectativa muito grande neste curso, a ârea é imensa em que se pode trabalhar, basta quqerer!

  8. gostei muito da entrevista, pois pude obter vários dados e tirar dúvidas que eu tinha sobre esta área de trabalho……Obrigada! muiito legal1!!!!!!!

  9. Ana Caroline comentou:

    Nossa! eu estava muito em duvida se escolhia Relaçoes Publicas ou Publicidade mais depois da entrevista percebi que meu caminho é a RP mesmo! muito obrigado pelas dicas logo logo terão uma nova RP para entrevistar rsrsrsrs

  10. miqueias gama comentou:

    tava em duvida do que fazer agora sei……………………….rp ai vamos nois . me indentifiquei muito.

Deixe seu comentário